fbpx
4 Results

lgpd

Pesquisar

Conheça a LGPD: Lei que visa a proteção de dados pessoais

O constante avanço da tecnologia, faz com que os consumidores compartilhem cada vez mais suas informações com as empresas. Você já ouviu falar sobre a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais? Também conhecida como LGPD, foi sancionada no dia 14 de agosto de 2018. E tem como objetivo, garantir a transparência no uso dos dados de pessoas físicas, em todos os meios. Até então, a lei regulamentadora nesses casos, era conhecida como Marco Civil da Internet, que havia sido sancionada em 2014.

O prazo inicial para vigência da LGPD, estava previsto para agosto de 2020, porém, o Senado aprovou mudanças no projeto e o adiamento desse prazo. É importante entender as mudanças geradas por esta lei e de que forma elas afetam sua empresa.

Nesse artigo, você vai conferir mais informações sobre a LGPD, quando ela entra em vigor, e de que maneira, sua empresa deve se adequar para seguir as novas regras

Entenda o que é a LGPD

A lei tem como objetivo principal, a privacidade e proteção de dados pessoais, e o tratamento desses dados por parte das empresas, e caso haja descumprimento, a mesma deverá sofrer penalidade. A LGPD ressalta que a coleta de dados deve se restringir somente ao que é diretamente útil para a empresa, ou seja, que esses dados sejam colhidos de forma adequada, relevante e limitada às finalidades para as quais são processados.

Toda e qualquer informação relacionada à pessoa física é considerada como dados pessoais. E, todos os processos como coleta, classificação, utilização, acesso, reprodução, processamento, eliminação, controle de informação, armazenamento, entre outros, valem como, tratamento de dados. 

O que muda com a nova lei

Lembrando que os titulares dos dados poderão retificar, cancelar ou solicitar a exclusão a qualquer momento. A LGPD entrega ao consumidor o controle sobre suas informações e a  possibilidade de punir os responsáveis por qualquer dano causado pelo mau uso das informações, visando a proteção de dados pessoais dos usuários. Em seu projeto, constam 9 hipóteses onde o tratamento de dados se tornam legais. Tendo 2 deles podendo ser apontados como os principais pontos: 

  • É necessário obter o consentimento explícito por parte do titular dos dados. Ou seja, ele deverá ser claramente informado dos termos de uso e extensão da autorização e precisa concedê-lo livremente.
  • A empresa só poderá recolher determinados dados à partir da autorização do titular, ou seja, deverá comprovar a utilidade da coleta perante seus consumidores.

Quem é afetado pela nova lei de proteção de dados pessoais?

Serão afetados diretamente 4 categorias: o titular, que é o proprietário dos dados em caso de pessoa física. Há também o controlador, as pessoas jurídicas que recebem esses dados, outro afetado é o operador, que é a empresa responsável pela coleta e segurança dos dados coletados. E por último, o encarregado, que é o profissional responsável pela proteção dos dados da empresa, e pode ser responsabilizado pelo mau uso dos dados. 

Caso as regras sejam descumpridas

Novos trechos, que antes haviam sido vetados, estão em vigor LGPD e referem-se às sanções administrativas que serão aplicadas aos responsáveis pelo tratamento de dados, que cometerem infrações. As penalidade previstas em caso de não cumprimento incluem multa simples, multa diária, publicização da infração; bloqueio e eliminação dos dados pessoais.

Após a aplicação dessas sanções, poderão ser aplicadas outras 3 sanções administrativas:
–  Suspensão parcial do funcionamento do banco de dados pelo período de 6 (seis) meses, prorrogável por igual período, até a regularização por parte do controlador;
– Suspensão do tratamento dos dados pessoais pelo período de 6 (seis) meses, prorrogável por igual período;
– Proibição parcial ou total do exercício de atividades relacionadas ao tratamento de dados.

Quando estará em vigência?

Inicialmente, a lei passaria a vigorar em agosto de 2020, porém, uma emenda ao projeto, alterou esta data. O Senado aprovou no último dia 03, novas regras na Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, e alterou a data do início da lei. Agora, sua vigência está prevista para 01 de de janeiro de 2021, com aplicação de multas e sanções em 01 de agosto do mesmo ano. Sendo assim, 1 ano a mais para organização e adequação das empresas.

Adeque sua empresa às normas de proteção de dados pessoais

A LGPD significa um desafio às empresas, que precisarão rever vários processos de manuseio e privacidade de dados como: gestão de consentimento, organização da duração dos dados dentro da empresa, entre outros. Além disso, as empresas do setor de tecnologia, também deverão se reorganizar de forma ágil para que possam auxiliar nas soluções de seus clientes.

É importante que sua empresa entenda as novas regras e se reorganize antes da vigência, ganhando tempo e garantindo maior sucesso nesse planejamento.

A TWW realizou um webinar onde é possível ter mais informações sobre a proteção de dados pessoais no contexto mundial, mais conhecimento sobre a nova lei, e de que maneira sua empresa pode e deve, utilizar essas regras à seu favor

Conte com ferramentas parceiras na hora de manusear dados

Conforme vimos, a LGPD vai regulamentar a coleta e manuseio de informações de usuários, e é importante, que a empresa se organize e se prepare desde já. A TWW é a auxilia sua empresa no momento de captar as autorizações, também conhecido com Opt In e se o usuário optar pelo descadastramento, Opt Out. Conte com os serviços da TWW para ajudar sua empresa na proteção de dados pessoais e a segurança na comprovação de colheita dessas informações. Procure um de nossos consultores

A revolução dos meios de pagamento

Você já deve ter escutado a frase de que tempo é dinheiro, certo? Pois é, ela faz mais sentido a cada dia que passa. Desde jovens, os indivíduos buscam cada vez mais automatizar seus processos, comprando produtos pela internet, fazendo cursos virtuais, pagando contas por meio de internet banking, entre outros. Uma das coisas que mais vem se atualizando e revolucionando seus métodos, são os meios de pagamento. Existem cada vez mais opções para efetuar transações financeiras que podem facilitar seus processos no dia a dia. 

Separamos algumas novidades nos meios de pagamento e dicas sobre segurança para que você esteja antenado e se necessário, saiba qual implementar em sua empresa. Confira:

Novos meios de pagamento

É possível que você já tenha ouvido falar de pelo menos um desses métodos, mas você conhece bem a utilização? Entenda mais sobre cada um deles:

Linha digitável
Assim como o nome já diz, é a linha digitável de um boleto bancário , ou seja é o código de barras traduzido em números, e ela é necessária para efetuar o pagamento de boletos quando você não tem a conta em mãos, ou o código de barras. Esse método geralmente é enviado por meio do SMS, por ser prático e rápido, assim o cliente copia a sequência numérica e ja faz o pagamento online no seu banco.

NFC

A sigla significa Near Field Communication, em tradução: comunicação por campo de proximidade. É a tecnologia de troca de dados sem fio por aproximação entre dois dispositivos, que pode ser utilizada para efetuar pagamentos. Esse método oferece praticidade, pois basta aproximar celular, relógio ou cartão de crédito com a máquina do cartão. Ambos devem ser compatíveis com essa tecnologia e, a troca de informações ocorre em poucos segundos. 

Em transações por meio de NFC, existe um limite de R$ 50 para transações onde não é necessário a utilização de senha e precisa ter a função habilitada previamente antes da utilização. Então como você precisa autorizar essa função antes de realizar a aproximação,  é uma tecnologia que apresenta certa segurança, mas é sempre indispensável se atentar onde o método será utilizado. 

Esse método pode ser encontrada em vários segmentos, e entre produtos premium até intermediários, por exemplo muitos smartphones de médio custo já contam com essa tecnologia. 

QR Code

Este método tem como nome Quick Response Code, que em tradução literal é o código de resposta rápida. Mesmo sendo criado em 1994 no Japão, ele ganhou mais notoriedade apenas nos últimos anos. O QR Code é uma evolução do código de barras, e é reconhecido pela grande maioria dos smartphones. 

Ele pode ser utilizado para oferecer diversos tipos de informações, pode redirecionar para páginas específicas, download de aplicativos e, como forma de pagamento, pode ser utilizado para identificar a compra a ser efetuada. Segundo um estudo da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, mais de 80% dos varejistas pretendem adotar aplicativos e QR Code como meios de pagamento. 

Esse método como forma de pagamento pode ser apresentada virtualmente ou de forma impressa. Muitas empresas criaram ações para tentar levar os clientes a utilizarem o método para efetuarem seus pagamentos, algumas oferecem descontos na primeira compra ou serviço de cashback.

Aplicativos para pagamento

Pagar contas e efetuar compras pelo celular tem se tornado algo cada vez mais comum na rotina dos brasileiros. Não poderia ser diferente que diversos aplicativos tenham sido lançados com essas finalidades e venham se aprimorando cada vez mais. Entre os serviços oferecidos estão pagamento de boletos, recarga de celular, realizar compras físicas e online, transações financeiras e outros. 

Entre as vantagens em utilizar esses aplicativos como meios de pagamento, estão a facilidade da utilização, possibilidade de parcelamento de contas, transferência para pessoas físicas sem taxas, cashback e descontos em produtos e serviços selecionados. Além disso, o SMS pode ser um ótimo aliado neste caso, notificando esses pagamentos por meio de mensagens automáticas. 

Segurança de Dados

Ao compartilhar suas informações com os meios de pagamento a serem utilizados, é importante oferecer segurança para que seus clientes se sintam seguros em compartilhar os dados. Oferecer um site seguro que contenha selo de verificação e apresentar informações sobre a instituição de forma transparente, para que o consumidor tenha acesso à elas. A LGPD é uma nova lei para regulamentar a responsabilidade das empresas com os dados pessoais dos usuários e a forma como eles serão utilizado, e caso não haja cumprimento, a organização será penalizada. 

Autenticação em dois fatores

Em muitos dos casos que citamos, a autorização para transações conta com a autenticação em dois fatores. É uma etapa extra de segurança que visa proteger os dados dos usuários, e pode ser feito por meio de SMS. Pode ser usado para confirmar uma compra, ou notificar sobre transações realizadas. Tanto nessas formas de pagamento quanto em outras, as empresas responsáveis podem fazer uso da autenticação para garantir a segurança dos seus usuários. 

Para oferecer segurança no compartilhamento de informações é crucial contar com a ferramenta certa. A TWW está há 20 anos no mercado, oferecendo serviços como SMS, flash, voicebot ou chatbot para diversas empresas, nos mais variados ramos do mercado. Assim como o avanço nos meios de pagamento, a TWW busca sempre se reinventar e se atualizar para continuar mantendo o alto padrão de qualidade. Temos o serviço ideal para sua empresa, converse com um de nossos consultores e saiba mais. Confira um webinar bem bacana sobre alguns dados interessantes do pós pandemia, e sobre a adesão de meios de pagamento alternativos.

Webinares: Tudo que você precisa para ter uma comunicação de sucesso

Aumento do uso de chatbots, Lei Geral de Proteção de Dados, tendências para uso de SMS na comunicação empresarial… Será que que a sua empresa está preparada para todas as novidades que prometem movimentar o mercado em 2020? Para ajudar você a estar por dentro do que realmente importa e, consequentemente, aumentar as vendas, separamos webinares com tudo para ter uma comunicação de sucesso.

8 Motivos para usar o chatbot

Conheça os motivos que fazem do chatbot por SMS uma ótima solução para comunicação da sua empresa. Saiba como ele pode acelerar a produtividade ao mesmo tempo que reduz custos e torna sua estratégia de marketing ainda mais efetiva. 

Tudo sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

É esperado que até o final de 2020 a Lei Geral de Proteção aos Dados entre em vigor. Essa legislação apresenta diversas novidades e exige mudanças em algumas empresas. Tire todas as suas dúvidas em relação a LPD, conheça o contexto mundial da privacidade das informações, e saiba o que muda na rotina da relação entre empresa. 

Comunicação de Sucesso: Tipos de SMS

Que o SMS é um grande aliado para a comunicação de diversas empresas, não é novidade. Mas será que você conhece todas as possibilidades que essa tecnologia oferece? Saiba os tipos de SMS, como utilizá-los na comunicação da sua empresa e todas as funcionalidades que a plataforma da TWW oferece.

As vantagens das integrações de sistemas

Entenda como funcionam as integrações de sistema para associar a plataforma da TWW às suas plataformas de comunicação e vendas. Conheça as vantagens dessas integrações e como elas podem oferecer ganhos para sua empresa.

Especial Black Friday

Comece já a se preparar para a data mais importante para vendas! Entenda como criar campanhas com objetivos de vendas, obter mais engajamento e elevar o ROI. 

Quer ainda mais dicas de como melhorar a comunicação da sua empresa e elevar as vendas? Fale com nossos consultores e conheça as soluções que atendem às necessidades da sua instituição.

Checklist: como criar uma estratégia efetiva de opt-in

Se você já pensou em implementar uma estratégia de SMS, certamente já deve ter ouvido falar sobre opt-in. Ele consiste na autorização que o lead dá  para o recebimento de contatos via e-mail ou celular. Ou seja, é a confirmação de que a pessoa tem interesse em receber conteúdos (como ofertas) da sua empresa e os reconhece como relevantes. Vale destacar que, além de ter o papel de evitar o envio de Spam, essa medida está prevista na LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais), que entrará em vigor em agosto de 2020.

A questão é que inúmeras empresas não sabem muito bem como criar e implementar uma estratégia efetiva de opt-in, de forma que a base de leads aumente progressivamente e que os termos de aceite estejam bem claros. Para ajudar você nessa missão, separamos uma lista de pontos que você deve prestar atenção. 

Check List para criar uma estratégia efetiva de opt-in

1. Entenda os tipos de opt-in

Sim, há mais um tipo de opt-in. Cada um deles apresenta um diferencial, que pode ser atrativo para uma etapa específica da sua estratégia de SMS. Entenda cada um deles abaixo. 

Double opt-in

Também conhecido como confirmação dupla, o double opt-in, é o tipo mais seguro, uma vez que envia uma mensagem de confirmação após o lead deixar seus dados. Assim, você terá a certeza de que as informações estão corretas e que a pessoa a ser impacta realmente tem interesse no conteúdo da sua empresa. Assim, reduz queixas e reclamações ocasionadas pelo envio de spam. 

Essa estratégia geralmente apresenta uma taxa de conversão mais baixa, mas garante que todos os leads estejam engajados nos assuntos relacionados ao seu negócio.

Soft opt-in

Nesse caso, o lead já mantém algum relacionamento preestabelecido com a empresa, seja por meio de eventos ou após compras. Dessa forma, a conversão em si já é a permissão de contato.

Apesar de garantir uma lista mais extensa de contatos, esse tipo pode acabar gerando cadastros inválidos ou reclamações sobre o envio de Spam, já que não há clareza referente à autorização. 

Single opt-in 

Conhecido como opt-in simples, ele exige a permissão para envio de conteúdos, mas não envia confirmações. Assim, também pode garantir uma base extensa de contatos, mas sem a devida qualificação, gerando spam ou obtendo dados incorretos. 

2. Seja claro

Ao criar uma landing page ou fazer uma captação de leads em evento, seja claro sobre as informações que estão sendo solicitadas e o que será realizado com elas. Assim, você evita reclamações sobre o uso indevido de dados. Além disso, é importante fazer um formulário de fácil compreensão e preenchimento, tornando a experiência ainda mais amigável, o que aumenta a taxa de conversão. 

3. Divulgue nos lugares certos 

Para garantir bons resultados e aumentar sua base de leads de forma quantitativa, é importante criar campos para preenchimento de dados e divulgá-lo em diversos canais. Você pode usar formulários de newsletter, redes sociais, landing pages de divulgação de e-books e pop-ups. 

4. Peça informações úteis 

Na hora de montar o seu formulário para obtenção de informações, lembre-se de solicitar dados que sejam úteis para a empresa. Ou seja, deixe um campo para nome e outros para e-mail e telefone. Vale ainda deixar espaços para questionar os interesses do lead, garantindo que ele receba apenas conteúdos que tenham sinergia com o que procura e que você compreenda melhor o seu público alvo.  

Na hora de montar o seu formulário para obtenção de informações, lembre-se de solicitar dados que sejam úteis para a empresa. Ou seja, deixe um campo para nome e outros para e-mail e telefone. Vale ainda deixar espaços para questionar os interesses do lead, garantindo que ele receba apenas conteúdos que tenham sinergia com o que procura e que você compreenda melhor o seu público alvo. 

Na hora de montar o seu formulário para obtenção de informações, lembre-se de solicitar dados que sejam úteis para a empresa. Ou seja, deixe um campo para nome e outros para e-mail e telefone. Vale ainda deixar espaços para questionar os interesses do lead, garantindo que ele receba apenas conteúdos que tenham sinergia com o que procura e que você compreenda melhor o seu público alvo.  

5. Conte com os parceiros ideais

Ao implementar uma estratégia efetiva de opt-in e realizar uma campanha de envio de SMS, é importante contar com o apoio de uma empresa que entenda o seu negócio e ajude a criar um planejamento efetivo para os seus objetivos. 

Desde 1996, a TWW aprimora ferramentas de comunicação móvel. Assim, tem o conhecimento necessário para prestar consultoria na implementação do seu projeto e na conquista dos resultados esperados! Fale com nossos consultores.